Cubanos e os direitos humanos

Publicado em 19 de novembro de 2018

Cubanos podem?

Dessa vez, o presidente eleito Bolsonaro colocou os direitos humanos em Xeque. Como pode um trabalhador receber 30% do salário e dar 70% para o chefe? Por muito menos há deputados respondendo na Justiça por prática similar.

* O programa Mais Médicos está selecionando brasileiros para trabalhar nas regiões mais vulneráveis do país.

CPI

Números do Ministério da Saúde revelam tamanho do rombo no programa Mais Médicos.  De 2013 a 2017, foram enviados à Cuba cerca de R$ 7,1 bilhões.

* Parlamentares da base de Jair Bolsonaro já prometem instaurar a CPI do Mais Médicos pra investigar um suposto esquema de Caixa 2 para as campanhas do PT, oriundos dos recursos do Mais Médicos.

Parceria

Pelo convênio com a OPAS, os intercambistas da ilha de Fidel recebem uma “ajuda de custo” que varia entre R$ 1.500 e R$ 3.000. Uma miséria comparada ao valor da bolsa: R$ 11.500,00 que deveria ser integralmente paga a todos os médicos participantes.

* Na opinião do deputado Alan Rick, o convênio celebrado pelo governo do PT com a OPAS é desumano. “O salário dos médicos cubanos é enviado a Cuba para financiar a ditadura castrista” – disse ele.

 

Intolerância

Lamentável o que se vê atualmente nas redes sociais, mais necessariamente no facebook: um perigoso crescimento na falta de aceitação de opiniões, pensamentos e reflexões divergentes das suas, que resultam, por diversas vezes, em ásperas discussões, verdadeiras guerras virtuais infindáveis de quem possui os melhores argumentos, jamais aceitando que ambos podem estar corretos, cada um com sua vertente e experiências pessoais.

Preconceito  

Respeitada por muitos colegas, a coronel Sheyla Sampaio, futura comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal, ainda enfrenta resistências de quem não aceita uma mulher no comando. Lamentável!

Base aliada   

Pelas contas de analistas políticos, o presidente eleito Jair Bolsonaro conta hoje com até 260 deputados e 39 senadores. Para aprovar a PEC da reforma da Previdência, por exemplo, ele vai precisar conquistar, ao menos, 308 votos na Câmara e 94 no Senado.

* Conseguirá? Para os analistas, é uma boa largada entre os parlamentares.

Novo procurador

Em primeira mão, Veja diz na edição deste final de semana que o preferido de Sérgio Moro para suceder Raquel Dodge na Procuradoria Geral da República é Deltan Dallagnol.

Frase

“Quando Bolsonaro anunciou para ministro da Defesa o general Azevedo, eu juro ter escutado Geraldo Azevedo” – Vital Ramos V. Júnior, leitor do Correio Braziliense.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.