Bomba: Vereadores manobram para esconder condenação de Vagner no TCE

Publicado em 30 de novembro de 2018

Ex-prefeito é condenado a pagar multas por desvios mas Romário Tavares e Antônio Cosmo esconderam o processo dos demais vereadores

Documentos revelam razões de o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, vir atuando de forma quase desesperada para emplacar o vereador Antônio Cosmo (MDB) como presidente da Câmara Municipal. É que, caso ele seja derrotado na disputa, como parece que vai ser, pode arranjar sérias complicações judiciais para si e seus aliados, o já citado vereador Antônio Cosmo e seu parceiro Romário Tavares, atualmente presidente da Câmara e aliado in pectori de Sales.

É que os dois vereadores, provavelmente a pedido de Vagner Sales, literalmente sentaram em cima de uma decisão do Tribunal de Contas do estado (TCE) reprovando as contas do ex-prefeito em relação ao ano de 2014. A decisão é do conselheiro Antônio Malheiros, relator do processo, que não só rejeitou as contas de Sales como o condenou ao pagamento de multas por uma série de irregularidades, principalmente aquela, já denunciada aqui, pelo aluguel de barcos, no valor de mais de R$ 600 mil, sem o devido processo licitatório, e ainda porque os donos dos barcos alugados recebiam apenas a quantia de um salário mínimo enquanto a maior parte do dinheiro, em tese, ia para os bolsos do prefeito e seu contador, Francisco Eládio, que também foi condenado pelo voto do Conselheiro Malheiros.

O problema é que, enviado à Câmara Municipal, o processo com o voto de Malheiros e seguido pelos demais conselheiros da Corte Contas do Estado jamais foi apreciado pela Câmara Municipal. Vereadores de oposição à Vagner Sales revelaram que nem sabiam da existência do processo porque os aliados do ex-prefeito, principalmente Romário Tavares e Antônio Cosmo, engavetaram a decisão do Tribunal. 

Em Cruzeiro do Sul, a informação de que, pelo andar da carruagem, o ex-prefeito Vagner Sales, que se sagrou novamente como uma grande liderança política do Vale do Juruá, elegendo a filha Jéssica como deputada federal e a esposa Antonia como estadual, razão pela qual está voltando a rugir e exigindo o governador eleito Gladson Cameli a condição de secretário especial para a região, uma espécie de governador paralelo no Estado, deve enfrentar sua primeira derrota pós-eleição. O atual prefeito Ilderley Cordeiro, ao que tudo indica, conseguiu, até aqui, amarrar bem os votos dos vereadores de sua bancada e aliados. A composição, hoje, é esta:

Ligados à Ilderlei Cordeiro 

Candidato à Presidência da casa – Clodoaldo Rodrigues (PR)

Prof. Mariazinha (PHS)

Franciney (PT)

Lucila Bruneta (PP)

Elenildo da Pesca (PP)

Marivaldo Valentina (PP)

Chaguinha (PDT)

Keleu (PDT)

Orcenir (PDT)

Ligados à Vagner Sales 

Romário Tavares (MDB)

Antônio Cosmo (MDB)

Mazinho (MDB)

Leandro Candido (Sem Partido)

Ronaldo Onofre (PDT)

 

fonte: O Juruá em Tempo


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.