Prefeito realiza reunião com vereadores e secretários para tratar sobre cortes de pessoal

Publicado em 20 de outubro de 2018

Em razão das demissões que a Prefeitura de Cruzeiro do Sul está sendo obrigada a realizar, devido as exigências feitas pelo Tribunal de Contas da União, em que os municípios devem se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, foi realizada na manhã desta sexta-feira (19) uma reunião entre a gestão municipal, contando com a presença do Prefeito Ilderlei Cordeiro, dos vereadores de Cruzeiro do Sul e secretários municipais.

O Prefeito Ilderlei Cordeiro expôs para os secretários e vereadores os motivos que estão levando a gestão municipal a tomar tais medidas. “Nós já víamos protelando essa situação do índice fiscal desde o ano passado. Já recebi o município com 61% do índice, houve demissões no início da gestão, houve outras no final do ano passado, agora no começo do ano novamente e agora mais uma vez. Sempre fazendo demissões aos poucos e esperando melhorias das receitas, das taxas municipais, dos IPTU’s, mas não melhorou, o índice do município se mantém. Quando melhora a arrecadação o índice cai para 59%, e quando abaixa a arrecadação o índice volta para 61%”, explicou.

Segundo Cordeiro, caso não cumpra as determinações, o município será punido com penalidades que podem levar a suspensão de recursos para a prefeitura. “O Ministério da Defesa já deixou claro que todas as emendas parlamentares que são impositivas, colocadas através do Calha Norte, todas serão perdidas, as emendas do ano passado para esse ano. Só Cruzeiro do Sul pode perder mais de R$ 900 mil, além dos outros municípios do Norte. Essa é uma situação delicada, fomos surpreendidos com a exigência de mais documentações pelo Calha Norte, devido o índice de responsabilidade fiscal. Em todo Juruá, Cruzeiro do Sul é o que tem o menor índice”, falou.

O gestor explicou que já foram realizadas pelo menos 200 demissões, e que o número pode chegar a quase 500, e caso o índice continue elevado a próxima medida será redução de salários dos servidores.  “Se não der jeito teremos que entrar nas reduções salariais de todos, começando pelo meu, até o último servidor nomeado. No ano passado reduzimos em 25% o salário de todos”, enfatizou.

O prefeito destacou ainda que já está sofrendo penalidades pessoais devido a situação, tendo que tomar tais medidas mesmo contra sua vontade. “Eu vinha tentando fazer o possível para melhorar a situação, mas estou tendo inclusive prejuízo pessoal, pois o meu CPF já estou respondendo três processos em torno de R$14 mil cada processo, pelo Tribunal de Contas do Estado. É muito triste termos que demitir, e fico mais triste quando algumas pessoas levam pelo lado de perseguição política. É uma situação delicada para todo estado, em Manoel Urbano vão demitir do quadro efetivo”, finalizou Cordeiro.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.