Nas Alagoas, Collor reedita papel de pai dos pés-descalços e descamisados

Publicado em 4 de setembro de 2018

 

Sandálias da humildade

A chuva não dá trégua, mas Fernando Collor de Mello (PTC) abre os braços de forma expansiva, acena e sorri enquanto caminha por ruas enlameadas na periferia de Arapiraca, cidade do agreste alagoano.

* No chão de uma praça, ele discursa para um público minguado. Mas empolga quem o acompanha quando dispara contra o governador Renan Filho (MDB), a quem chama de prepotente, metido a besta e menino de calças curtas.

Dividido

A decisão do ex-presidente Lula de prolongar a estratégia em torno de sua candidatura presidencial contrariou uma ala expressiva do PT, que considera urgente oficializar o vice, Fernando Haddad, na cabeça de chapa. A avaliação desse grupo, que inclui Tião Viana, do Acre, s  demais governadores da sigla, é de que o adiamento deixa o PT sem candidato e coloca em xeque a transferência de votos de Lula.

* A ala do partido que defende manter o nome do ex-presidente “até o fim” é liderada, como não poderia de ser, pela presidente da sigla, Gleisi Hoffmann.

Receio de debandada

Após reunião com Lula em Curitiba, nesta segunda-feira 03, Haddad anunciou que o PT entrará com recurso contra o veto à candidatura do ex-presidente no STF e no Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

* Ele ainda pode ser alçado à cabeça de chapa até o dia 11, prazo fixado pelo TSE, mas cresce a angústia interna no partido e o receio de debandada dos eleitores.

Denúncia contra Bolsonaro

A coligação presidencial encabeçada pelo PT apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia-crime contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) pela declaração em que ele defende “fuzilar a petralhada do Acre”.

* Os partidos afirmam que ele cometeu os crimes de injúria eleitoral, ameaça e incitação ao crime. O processo foi distribuído para o ministro Ricardo Lewandowski, que pediu um parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) antes de tomar uma decisão.

O outro lado

A assessoria do deputado disse que o gesto “foi uma brincadeira, como sempre” e  Bolsonaro afirmou que se tratava de uma “figura de linguagem”.

Novo visual

Orientada por marqueteiro, a candidata da Rede, Marina silva, ousa no visual e adota discurso mais forte, sobretudo para mulheres. Convencida pelas filhas e pelo marqueteiro Lourenço Bustani a ousar no estilo, Marina abandonou o tradicional coque no cabelo para aparecer na TV produzida pelo argentino Miguel Estelrich, reconhecido pelo trabalho em editoriais de moda.

* A transformação de Marina, no entanto, vai além da imagem. O discurso da candidata, alvo de uma campanha de desconstrução articulada pelo PT na disputa de 2014, também está em mutação.

Não vai segurar

O Supremo Tribunal Federal já fez chegar ao presidente Temer a informação de que, se os servidores civis da União questionarem a MP que adia o reajuste do funcionalismo de 2019 para 2020, dará liminar favorável aos trabalhadores.

* Com isso, devem se repetir os fatos de 2017, quando o ministro Lewandowski assegurou o reajuste deste ano.

Frase

*Tragédia do Museu reflete má política de gastos” – manchete do Globo


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.