Acre: 54% da população riobranquense endividada

Publicado em 25 de setembro de 2018

Pelo menos 54% da população rio-branquense com potencial de consumo está endividada e com nome inscrito no Serasa. A constatação é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomercio/AC), por meio do Instituto Fecomercio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac). O estudo, feito junto a 250 consumidores da capital acriana entre os últimos dias 29 a 31, reitera que 67% dos moradores de Rio Branco não têm planejamento financeiro.

A pesquisa relata que, da população economicamente ocupada rio-branquense, 25% sobrevive apenas com a renda média de um salário mínimo; aí adicionado mais 14%, com ganho de pouco acima do mínimo.

Caso se leve em consideração o salário mínimo vigente, essa população tem renda média de R$ 954. Além disso, conforme informações do relatório, 64% dos entrevistados têm comprometimento médio de renda em até 50% para os próximos seis meses; 26%, comprometimento de 30% pelo mesmo período e; 10%, em 70% da renda.

O relatório também avaliou o tempo médio de pendência financeira que, para 39% dos entrevistados, é de até 30 dias; para 29%, de 31 a 45 dias; para 29%, de 46 a 60 dias. Apenas 10% demoram mais de 90 dias com pendências financeiras.

Quanto à providência da população visando o pagamento de dívidas no tempo certo, 26% sempre recorre a empréstimos financeiros diversos; 6% aumentam horas de trabalho/dia; e outros 6% suspendem o consumo de alguns bens e serviços.

O estudo destaca também que 28% dos entrevistados demonstraram preocupação apenas para a normalidade das contas essenciais, enquanto 33% simplesmente não realizam pagamentos nos vencimentos, geralmente adiam por questões circunstanciais ou deixam de pagar de vez em quando, contas de serviço público.

Dentre os compromissos financeiros da população, o cartão de crédito se apresenta como o principal para 41%, seguido de 32%, que demonstram preocupação com empréstimos junto a bancos, financeiras, assim como financiamento habitacional.

Além disso, no que se relaciona a gastos financeiros para datas festivas, 57% geralmente extrapolam seus limites; afora 10%, que não se manifestaram quanto a questão; e 33%, que procuram manter esses gastos conforme o limite financeiro permitido.

 

 

ASSESSORIA FECOMERCIO/AC


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.