Renan Calheiro jura que é “lulista” desde criancinha

Publicado em 19 de julho de 2018

Desde criancinha

Renan Calheiro jura que é “lulista” desde que nasceu.  Candidato à reeleição em Alagoas, o senador do MDB gravou recentemente mais um vídeo em defesa do ex-presidente, em que termina com a frase “Lula livre”.

* Foi a senha para a visita que ele fez ao petista nesta terça-feira 17, na cela da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Mandato derramado

O ex-senador Delcídio Amaral, agora no PTC, vai à Justiça tentar reverter a inelegibilidade e lançá-lo candidato. Delcídio, entretanto, ainda não decidiu se quer concorrer ao Senado que não lhe deu o benefício da dúvida quando permitiu que ele fosse preso.

Sozinha na Rede

No mar de nomes cotados para a corrida eleitoral deste ano, a pré-candidata à Presidência da República, Marina Silva (Rede) se coloca como uma opção de centro, afastada da polarização  que causa uma boa parte dos problemas políticos que o país enfrente.

* Longe escândalos de corrupção, com discursos diplomáticos e um eleitorado fiel, Marina segue como a segunda mais votada nas pesquisas atrás de Jair Bolsonaro.

Estratégia política

O PT prepara estratégias políticas e jurídicas, par chegar ao segundo turno das eleições. O caminho, no entanto, não vai ser fácil. No campo eleitoral, a dificuldade é convencer o PSB a embarcar na campanha petista e evitar o fortalecimento de Ciro Gomes, do PDT, na esquerda.

* Pelo lado da Justiça, os petistas estudam brechas na legislação que possam render recurso que convença a ministra Laurita Vaz, presidente do STJ, a conceder um habeas corpus ao ex-presidente Lula.

Impasses regionais

Apesar do desejo do presidenciável Ciro Gomes, a aproximação entre o PSB e PDT encontra obstáculos não só no Distrito Federal, mas em outras unidades da Federação.

* No Acre, por exemplo, PDT e PSB negociam a chapa proporcional de deputados federais, porque consideram que, unidos, têm condições de eleger um número maior de parlamentares. Em aspectos majoritários, os partidos apoiarão o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT).

Divisão do bolo

O PT sentou à mesa para repartir os R$ 212,2 milhões a que tem direito pelo Fundo Eleitoral. Atrás apenas do MDB (R$ 234,2 milhões), o partido abocanhou mais de 12% do total dos recursos. Vai destinar R$ 2,2 milhões para candidatos ao Senado, e R$ 1 milhão à disputa da Câmara. Mas a maior parte do dinheiro, cerca de 50% do total, financiará a campanha presidencial.

* As sobras vão reforçar o caixa petista nos estados que já governa e quer manter — Acre, Piauí, Ceará, Bahia e Minas, e onde há chance de vitória, como o Rio Grande do Norte.

Na bala

Em viagem a Marabá, no sul do Pará, o pré-candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou que homicídios têm que ser respondidos com “bala”, e não dentro da lei. Bolsonaro discursou ao lado de Silvério Fernandes, irmão de Luciano Fernandes, empresário de Anapu (PA) assassinado em maio deste ano por uma suposta disputa de terras.

* “Vocês sabem a história do irmão dele, que eu conheci há pouco tempo no Rio de Janeiro. É um crime, ninguém duvida disso. Agora, esses marginais que cometeram esse crime não merecem lei, não. Merecem é bala” – disse.

Frase

‘Cela não pode servir de palanque a Lula” – do advogado Alexandre Ribeiro Filho.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.