Área do lixão de Cruzeiro do Sul será totalmente devolvida ao seu estado natural em aproximadamente um ano e meio

Publicado em 11 de julho de 2018

A ONG CBCN já realiza um trabalho de seleção e limpeza de resíduos sólidos no lixão. Nesse primeiro momento mitigado o impacto ambiental no igarapé causado por um desmoronamento devido as chuvas. No local foi feito um acesso pela lateral para que as máquinas pudessem acessar a área impactada e fazer o processo de retirada dos resíduos, um paredão de pneus dando reuso a esses materiais, na área será criado um dreno no entorno da pirâmide do lixão para águas pluviais, esse dreno vai levar a um tanque de captação através de uma bomba que bombeará os chorumes para cima da trincheira que está sendo feita para receber os resíduos gerados diariamente.

De acordo com o coordenador Nacional de Resíduos Sólidos do CBCN Jocélio Melo, esse é um tratamento transitório, a pretensão é encerrar o lixão em aproximadamente um ano e meio, quando a nova estação de tratamento estiver pronta que será construída em uma área próximo ao lixão, desta forma todo lixo depositado nos últimos 20 anos será transformado em energia juntamente com os resíduos gerados diariamente e toda área do lixão voltará ao seu estado original.

“Aqui é um lixão, jamais será aterro sanitário estamos ordenando as nossas ações aqui um ajuste de conduta do ministério público para que a gente também não incorra no passivo ambiental porque realmente não está preparado para receber os resíduos da forma tecnicamente correta, então é muito mais uma correção ordenada para evitar novos desmoronamento e mitigar um pouco do impacto causado”, disse.

Cerca de 15 anos atrás, o lugar era um aterro sanitário que foi mal administrado e se tornou o lixão. 2000 metros cúbicos de lixo são retirados do local. “Houve um descaso nos últimos dez anos, crimes ambientais e agora estamos tentando fazer o possível para não agredir ainda mais a natureza”, finalizou Melo.

 


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.