Pré-candidata a Dep. Federal, Dra. Vanda Milani diz que fará campanha com foco na renovação da política

Publicado em 14 de junho de 2018

Dra. Vanda Milani do Solidariedade”(SD), ressaltou que deverá ouvir as lideranças e dialogar incansavelmente com líderes evangélicos, sociais e políticos de várias regiões do Estado do Acre. Excelente nome para Câmara Federal. Pela sua ampla bagagem jurídica, onde foi advogada, Delegada de Polícia, Promotora, e Procuradora, “vai cair como uma luva” nessas temáticas. Honrando muito o Acre, e ajudando à combater de forma eficiente e eficaz a criminalidade que à cada dia destrói as famílias, o bem maior para qualquer sociedade que pense nas gerações vindouras com visão de estadismo.

Dra. Vanda Milani após ter seu nome confirmado como pré-Candidata a Deputada Federal pelo Partido Solidariedade (SD) neste ano de 2018, em evento que reuniu grandes  lideranças de todo o Estado, e Líder políticos é Evangélicos, a Dra. Vanda Milani, já tem definido o modelo de campanha que deverá apresentar à população da capital e de todo interior do Acre. Nesse sentido, o foco do debate proposto será a renovação da política, tendo em vista o caótico quadro que o país se encontra em razão de uma representação política que não tem cumprido o seu verdadeiro papel de promover a cidadania nacional, traduzida como o bem comum.

“É inconcebível ficar inerte diante de tudo o que tem acontecido no Brasil, especialmente no que diz respeito aos escândalos de corrupção que atualmente abarca uma grande parte dos membros da Câmara Federal, enquanto a maior parte da sociedade brasileira fica refém da criminalidade desenfreada que se espalha por toda parte”, disse Dra. Vanda Milani.

A pré-candidata Dra. Vanda Milani afirmou ainda que, “é nesse propósito, de fazer um diálogo direto e franco com as pessoas, em busca do modelo de representação que queremos e que de fato represente o cidadão, que se propõe esta pré-candidatura”.

Dra. Vanda Milani fará uma campanha voltada para discutir temas importantes para o Brasil e o Acre, conseqüentemente, como: a moralidade e a ética na política, a segurança pública, os valores cristãos e da família, a defesa do meio ambiente, bem como os direitos sociais consagrados na Constituição Cidadã, dos quais, muitos não foram efetivados por inércia do Congresso Nacional, que em grande parte, não têm demonstrado compromisso com estes desafios,  a classe política tem uma dívida com o Brasil desde 1988, e isso precisa ser trazido à luz.

A pré-candidata ressaltou que deverá ouvir as lideranças do seu segmento e dialogar incansavelmente com líderes evangélicos, sociais e políticos de várias regiões do Estado.

 

Por: Edilberto Araujo


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.