Prisão de Jornalisa gera protesto da classe em Cruzeiro do sul/Acre

Publicado em 21 de fevereiro de 2015

Da Redação

villes fotografo-1

Na ultima quinta-feira (19), manifesto foi um repúdio a prisão do repórter cinematográfico que revoltou os profissionais, que se reuniram em frente à sede da Delegacia Geral da cidade, os jornalistas amordaçados com faixa preta na boca, e uma faixa “Não a intimidação”. O motivo foi à prisão do fotógrafo Wiles Torres, 30, que foi detido no último domingo (14), enquanto trabalhava na cobertura do carnaval, o profissional permaneceu preso por varias horas, o que chamou a atenção, ele ter que ficar de cueca preso junto aos demais presos na Delegacia, como se fosse um bandido de alta periculosidade.

A truculência de alguns policiais civis com a imprensa em Cruzeiro do Sul aumenta a cada dia, o direito de imprensa não é respeitado por alguns policiais que já se tornou frequente, isso é abuso de autoridade, se espera que a corregedoria tome providencias para que fatos dessa natureza não venham se repetir, o profissional estava exercendo seu trabalho profissional, segundo informações o policial “arruaceiro estava de folga e bêbado causando tumulto no evento”, e ao tomar conhecimento que estava sendo fotografado se achou no direito de tomar o equipamento de trabalho do profissional e apagar as fotos.

A corporação de policia civil tem o respeito da sociedade pela a seriedade que presta serviço a população, a policia civil não deve ter esse tipo de policial arrogante que se acha o dono do poder e intimidar as pessoas e muito menos os profissionais da imprensa, esse tipo de agente só vem manchar a instituição que tanto faz pela a população,  esperamos que a corregedoria não venha passar a mão na cabeça desse tipo de agente arruaceiros e ficar por isso mesmo.

Segundo o boletim de ocorrência, o jornalista foi acusado por desacato a autoridade, mas de acordo com testemunhas, o motivo da prisão foi o registro fotográfico feito pelo profissional de uma ocorrência envolvendo o policial civil em uma briga, por não aceitar chegou a apagar as imagens, o profissional foi preso, A prova é tanta do abuso de autoridade, que o equipamento foi apreendido também, e em seguida, as imagens foram apagadas por um dos agentes da Policia Civil.

“Tomaram meu equipamento e apagaram as fotos. Fui conduzido à delegacia por desacato. Mas a única coisa que fiz foi registrar a ação da polícia em uma abordagem durante uma briga com foliões. Para a minha surpresa um dos envolvidos na confusão era um policial civil de folga e os outros me proibiram de registrar a ação”, explicou Wiles Torres.

Foto: g1

Foto: g1

O delegado responsável pela regional do Juruá, Elton Cristiano Futigami, esclareceu que a policia civil não tolera esse tipo de comportamento por parte dos policiais, temos uma parceria com a imprensa e uma relação de trabalho muito boa, todas as partes já foram ouvidas o caso está sendo apurado pela Corregedoria da Policia Civil do Estado do Acre, sem duvidas tomara as medidas logo após analisar os fatos, concluiu o Delegado.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.