Corrupção no Brasil chega a mais de R$ 100 bilhões por ano

Publicado em 3 de fevereiro de 2015

Sem corrupção o brasileiro poderia ser ate 27% mais ricos

corrupçao Brasil

O Brasil com todas dificuldades que existem pode se afirmar que é um país rico, quem ingressa na politica nos dias de hoje, mais de 90% deles já é um membro da chamada “facção politica partidária Brasileira” (FPPB), parlamentares que tem grandes salários e uma vida regada de privilégios, quando quem trabalha para pagar seus salários exorbitantes vivem na miséria, que é o trabalhador brasileiro. o desvios com a corrupção feita por parlamentares e seus aliados chega a mais R$ 100 bilhões por ano, hoje o congresso nacional faz vergonha não só ao Brasil, mas a todo o mundo.

De acordo com o relatório, analisando o indicador de governança “Efetividade do Governo”, publicado pelo Banco Mundial, que mede percepções sobre a lentidão e excesso burocrático, falha na ação governamental, qualidade do governo e da administração, vulnerabilidade da administração ante pressões políticas, continuidade administrativa em mudanças de governo, eficiência governamental na prestação de serviços, previsibilidade de normas e comparando-os com o índice de corrupção percebida, nota-se que os países com maior efetividade do governo e maior eficácia das leis apresentam menores níveis de corrupção percebida.

O principal levantamento de dados sobre a corrupção é feito pela ONG americana Transparência Internacional (CPI – Corruption Perceptions Index, ou seja, índice de percepção da corrupção). O CPI é um índice subjetivo, calculado desde 1995, baseado em pesquisas de opinião de um conjunto de empresários e instituições acerca de suas percepções sobre práticas corruptas. Por ser subjetivo, um determinado valor do indicador em dois países não representa necessariamente a mesma dimensão de corrupção percebida nesses países (um CPI de três para o país A, por exemplo, não representa necessariamente a mesma corrupção percebida de um indicador três para o país B). A CPI reflete o ponto de vista de observadores de todo o mundo, incluindo experts que vivem e trabalham nos países e territórios referidos.

Dados de 2012 da Transparência Internacional mostram que o Brasil está na 69º posição no ranking de 176 países, com a pontuação de 43 pontos, na metodologia que considera a escala de 0 a 100, ao lado de Macedônia e África do Sul

Os efeitos nocivos da corrupção são muitos e óbvios. Olhando apenas o lado econômico, ela prejudica a eficiência do gasto público e desestimula investimentos, reduzindo o crescimento, a geração de empregos, os serviços como educação e saúde, e a renda da população.

Estimar seu custo não é fácil. Corrupto não passa recibo, pelo menos não na maioria das vezes. Ainda assim, várias tentativas foram feitas para mensurar quanto é desviado da atividade produtiva através de atos corruptos no Brasil e no mundo.

Ainda que imprecisas, estimativas indicam que a corrupção reduz nosso PIB em até 2,3% desviando, em valores atuais, cerca de R$ 100 bilhões da economia brasileira todo santo ano. Se este dinheiro não fosse surrupiado seria possível ampliar em sete vezes o Bolsa Família. Outra opção seria dobrar os investimentos públicos em infraestrutura, melhorando estradas, ferrovias, portos, aeroportos. Outra ainda seria abolir o imposto de renda sobre rendimentos do trabalho, aumentando o poder de consumo de cada um dos brasileiros. Mais uma seria extinguir o IPI e o IOF, tornando produtos e financiamentos mais baratos no país.

Infelizmente, nada disso acontecerá. Pior, estas estimativas abrangem apenas custos mensuráveis. Além deles, há custos incomensuráveis significativos. Um deles é a perda de foco de outros problemas que limitam nosso crescimento. Enquanto o país acompanha a novela do julgamento do mensalão e a CPI do Cachoeira, projetos de reformas fundamentais não são nem discutidos no Congresso.

Outro custo incalculável é a desconfiança que se lança sobre o lucro, o qual deve ser um dos principais motores de qualquer economia capitalista saudável. Quanto mais o governo se envolve em atividades econômicas, mais suspeitas – corretas ou não – recaem sobre sucessos empresariais, com menos incentivo ao empreendedorismo, e como consequência menos crescimento, riqueza e empregos.

Corrupção não é exclusividade brasileira. Estima-se que, neste ano, o mundo perderá R$ 2,5 trilhões, equivalentes à metade de tudo que será produzido no Brasil. Eliminá-la completamente é uma utopia, mas inúmeros casos de sucesso em reduzi-la, em outros países, mostram que combatê-la ferozmente vale muito a pena.

Por: Edilberto Araujo


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.