Acre: Funcionários da fábrica de camisinha, delegacias e hospital estão sem receber há meses diz deputado

Publicado em 12 de Fevereiro de 2015
Deputado Antonio Pedro quer explicações sobre pagamentos – Foto: Aleac

Deputado Antonio Pedro quer explicações sobre pagamentos – Foto: Aleac

Na manhã de ontem quarta feira 11, o deputado estadual Antônio Pedro (DEM), fez uma grave denuncia na Aleac, segundo o deputado, os funcionários da fábrica de preservativos Natex, construída pelo governo do Acre, estariam há três meses sem receber seus salários. As empresas terceirizadas, responsáveis pelo funcionamento da fábrica também não teriam pago o décimo terceiro salário dos prestadores de serviço, diz deputado.

Deputado denuncia na tribuna da ALEAC

“Desde o ano passado, os funcionários não recebem seus salários. Não receberam nem o décimo terceiro, gostaria de saber qual é o verdadeiro problema, se a empresa que não paga ou o governo que não repassa os recursos, agora imaginem, uma pessoa que ganha um salario baixo, e ainda passar três meses trabalhando e não vê a cor do dinheiro”, disse o deputado, ao pedir explicações ao líder do governo, Daniel Zen (PT).

Em resposta o petista Zen disse que vai verificar a procedência da denúncia, junto a SEDENS. “Vou averiguar, vou solicitar as informações da questão com a SEDENS para saber o que está acontecendo e trazer uma informação mais precisa”, comentou o líder do governo petista.

Também foi denunciado por telefone, que empresas terceirizadas que fornecem serviço de limpeza em unidades de saúde e delegacias do interior do Acre, estão sem receber desde o mês de dezembro passado. A preocupação por parte de alguns funcionários, seria o atraso de pagamento de pensões alimentícias.

“Estamos com medo de ser presos por não pagar nossas pensões e ser preso. Já procuramos até mesmo o Ministério do Trabalho, mas disseram que não podem fazer muita coisa e sobre os pagamentos, não tem data alguma para serem pagos”, desabafou um dos funcionários por telefone.

Disse ainda que foram ameaçados caso alguém resolva fazer algum tipo de manifestação sobre os salários atrasados. Em tempo, o porta voz do governo, Leonildo Rosas, disse que o Estado não tem responsabilidade sobre os pagamentos atrasados e que está em dia com as empresas terceirizadas.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.