‘Escândalo’ no BNDES pode ser 7 vezes maior que ‘Petrolão’ e ‘Mensalão’ juntos, diz Procurador Federal

Publicado em 15 de dezembro de 2014

Da Redação com informações FCS Brasil

No Petrolão já são mais de R$ 70 bilhões, e no ‘possível próximo escândalo’, no BNDES, são R$ 500 bilhões em jogo.

procurador denuncia

Em 30/11/2014, um artigo dos Blogs da Mídia Livre alertava para a ‘invasão’ de ilegais disfarçados de refugiados pelo Acre. No texto, também foi feito um dos primeiros alertas para o possível ‘BNDES-salão’.

imigrante

“Algo de muito podre e ruim está sendo preparado nos bastidores da república bolivariana brasileira. Como é que me explicam o fato de ter mais de 29 mil pessoas ilegais (fora o que não foi contabilizado) (Cubanos, Venezuelanos, Haitianos, Ganeses, Russos, Chineses, Farc´s e outros entrando livremente pelo Acre e sendo transportados e bancados pelo governo desde 2010? Sim, é isso mesmo que está acontecendo.

Um detalhe importante observado é que são todos homens, não há famílias e nem mulheres nessas levas de ‘imigrantes ou militantes’ ilegais”.

Muitas benesses foram concedidas a ditadores bolivarianos e demais aliados políticos através do BNDES com a maior cara de pau de uma ‘legalidade ilegal, imoral e absurdamente criminosa’. (Vide Porto de Mariel, Gasoduto do Peru, reparos em Usina na Bolívia e outros, notadamente com o envolvimento das empreiteiras caneteadas na Lava Jato, Camargo Corrêa e Odebrecht), e pior, sem autorização do congresso e com sigilo por mais de 50 anos. Os únicos que tem acesso a documentos de tais “empréstimos” são a presidência da republica e a casa civil, ninguém mais, nem o MPF, CGU e TCU.

Agora, quem diz que um escândalo muito maior do que o Petrolão e o Mensalão, envolvendo o BNDES e seus ’empréstimos e doações’ para ditadores bolivarianos, é um dos mais temidos Procuradores Federais do país, Hélio Telho Corrêia Filho, de Goiás.

Em uma entrevista publicada pelo site Opção ele fala sobre a possibilidade de um escândalo muito maior do que todos já vistos na face da ‘república bananense brasileira’.

Trecho da entrevista:

Cezar Santos do site Opção pergunta ao procurador: O sr. diz que surpreende que as coisas tenham crescido. A coisa não cresceu dentro da Petrobrás justamente porque o “status quo” de poder instalado na República hoje está profundamente implicado e isso serve para financiar o partido do governo e seus aliados privilegiados?

Procurador Responde:

Se o sistema favorece a prática da corrupção, ela vai florescer. E tenho repetido: este ainda não é o maior escândalo que vamos ver. Ainda vamos ter um escândalo maior do que esse. E digo até qual: será no BNDES. Por que sei disso? Estou fazendo investigações, ouvindo escutas telefônicas? Não. Mas é que as coisas são óbvias demais. A corrupção floresce em ambientes onde há muito dinheiro, nenhum controle, muito sigilo e impunidade total. O BNDES está alavancando com mais de R$ 500 bilhões do Tesouro Nacional, fazendo empréstimos a juros subsidiados. Mas não sabemos para quem, quanto foi para cada um e nem quais são as garantias. Por quê? Porque alegam sigilo bancário e, assim, nós não podemos ter acesso. Ou seja, a CGU (Controladoria-Geral da União) não fiscaliza, o TCU (Tribunal de Contas da União) não consegue fiscalizar, o Ministério Público Federal não tem acesso. Ninguém tem acesso. É claro que esse dinheiro está sendo desviado (enfático). É claro que isso é uma cultura para a corrupção. Tudo isso é muito óbvio. Quando conseguirmos abrir a caixa preta do BNDES, a “petropina” vai parecer troco de pinga. Se na “petropina” tinha obra em torno de R$ 70 bilhões em contratos, no BNDES há R$ 500 bilhões, sete vezes mais. Só que na Petrobrás havia o TCU investigando e denunciando fraudes e superfaturamentos, há muito tempo. Mas no BNDES nós não temos nada, não sabemos nada.


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.