Boa Vista enfrenta protesto no terminal de ônibus contra aumento da passagem por ser a mais cara do Brasil

Publicado em 9 de Janeiro de 2014

Da Redação folhadojurua.com.br

 Foto:  Antônio Diniz


Foto: Antônio Diniz

Considerada uma das capitais mais pobre da região norte do Brasil, segundo os movimentos sociais, é também a capital com a passagem mais cara, uma população que já sofre com a falta de estrutura, segurança,saúde agora com o aumento abusivo das passagem, a população sofre ainda mais e as autoridades politica nada fazem para amenizar a situação da população.

Em protesto contra o aumento das passagens do transporte urbano coletivo e do táxi lotação, integrantes de Movimentos Sociais fizeram nesta manhã de quinta feira (9), um protesto pacífico que incluiu panfletagem e recolhimento de assinatura para um abaixo assinado que será entregue no Ministério Público de Roraima.

A concentração dos manifestantes aconteceu no Terminal de ônibus José Campanha Wanderley, no Centro. A meta é recolher de quatro a cinco mil assinaturas. Os protestos se estendem até segunda-feira, data em que será entregue o abaixo assinado no MPRR, segundo informou Rogério Ribeiro, um dos integrantes do movimento.

O reajuste das passagens começou a vigorar no dia 2 deste mês. Agora o passageiro paga R$ 2,60 pela tarifa do ônibus e R$ 3,10 do lotação.

“No nosso entendimento, o reajuste é abusivo, comparando com as tarifas de outros estados. Hoje, Boa Vista tem a preço da passagem mais caro do país com o trajeto menor. Em 14 capitais do país o trajeto é maior, mas o valor é menor, como exemplo temos Brasília, Recife, Fortaleza e Vitória”, explicou Ribeiro.

Para ele, o reajuste foi decidido sem a participação da sociedade. Ribeiro explicou que o trabalhador que ganha um salário mínimo e, se deslocando de casa para o trabalho pagando quatro passagens, no final do ano vai gastar R$ 3.744. “É um valor alto, que precisa ser revisto”, comentou.

“O protesto é em prol também dos abrigos (parada) de ônibus que custam R$ 7 mil, mas que não oferecem conforto para os usuários. São situações negativas do transporte público que precisam ser avaliados”, ressaltou Ribeiro.

A servidora pública Ângela da Silva, 40, utiliza transporte público, e disse que apoia o movimento. “Antes do aumento da tarifa, pagava R$ 88 por mês somente em passagem, isso ficando direto no trabalho. Com o reajuste, vou gastar R$ 15 a mais”. Comentou.

Tumulto

Durante o protesto houve um pequeno tumulto no terminal de ônibus José Campanha Wanderley e uma guarda chegou a tirar o teaser (arma de choque) para conter um dos manifestantes.

Um dos integrantes do manifesto colocou um carro na saída do terminal, bloqueando-a parcialmente. “O combinado seria que o carro ficaria por um período de um minuto e, em seguida, seria retirado. Mas num dado momento um guarda disse que era para eu deixar o carro onde estava”, comentou Francimar Silva Leal, dono do veiculo.

O inspetor da Guarda Municipal, Murilo Santos explicou que carro passou por revista e foi constato que estava com documentação irregular, o que gerou desentendimento com o dono do veículo.

Para acalmar os ânimos, foram acionada, além da Guarda Municipal, agentes municipal de Trânsito e Bope.

Fonte: Folha Web de Boa Vista


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.