Ministro das Telecomunicações abre o segundo dia do Fala Nordeste

Publicado em 1 de dezembro de 2013

comunicação 2013

O fortalecimento da radiodifusão e seu conteúdo em multiplataformas é o tema central da oitava edição do Fala Nordeste. Trata-se do Congresso de Radiodifusão do Nordeste que teve início nesta quinta e seguiu até ontem, 30 de Novembro, na Fábrica de Negócios, em Fortaleza (CE).

Estava na programação do evento, assuntos como: “Novas Tecnologias para o Rádio: Internet, Redes Sociais e Convergência”; “Conectimídia”; “Multiplataformas para Rádio: Mídias Sociais e a Internet”; “Rádio Talk Popular: O Que Muda com a Passagem do AM para o FM”; entre outros.

O Fala Nordeste traz para a radiodifusão aquilo que é preciso para o seu dia a dia profissional, seja para o empresário, ou, para o profissional. Foi o que disse o presidente da ACERT e diretor de programação do Sistema Verdes Mares, Edilmar Norões. Ele ainda afirmou “estamos tranquilos e conscientes de que todos os palestrantes deixam o nosso congresso na condição de que estamos levando o melhor para os nossos afiliados”.

Já, o Presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), Daniel Pimentel Slaviero, que participou da abertura do Congresso na última quinta-feira, 29, disse, por sua vez, se tratar de um momento histórico para o setor, pois as emissoras poderão continuar prestando um serviço com qualidade.

Levando para a questão do diálogo, o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo Silva, disse que “essa talvez seja a principal fonte de entretenimento e informação da população brasileira, então um evento como esse é uma oportunidade que não poderíamos deixar de aproveitar para conversar”. Paulo Bernardo também abriu a programação geral de palestras, falando sobre “Liberdade de Expressão e Modernização dos Serviços de Comunicação no Brasil”.

Na ocasião, a vice-presidente da ACERT e coordenadora-geral do evento, Carmen Lúcia Dummar, pediu que considere e reavalie os valores da outorga e do aumento de potência, que seja colocado um maior peso no potencial econômico da Região Nordeste, e, não, na população. “Nós do 8º Fala Nordeste esperamos estar servindo à radiodifusão, além de podermos usufruir de um excelente conteúdo”, finalizou Carmen Lúcia.

Fonte: O POVO online


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.