Como superar a Herança Maldita Petralha no Brasil

Publicado em 8 de dezembro de 2013

Brado Retumbante

Corrupção, vagabundagem e desilusão com a política. Estas são pelo menos três heranças malditas, deixadas pelos governos petralhas, que um futuro e verdadeiro Governo do Brasil precisa superar. Para isto, é preciso que a elite pensante e produtiva elabore um Projeto de Nação que possa ser colocado em prática, com objetivos bem claros, metas realistas e prazos corretos, com foco em resultados baseados em ética, responsabilidade e patriotismo.

O PT já era! Vai ser tirado do poder na eleição de 2014. Os fantoches que comandam o partido perderam a sustentação dada pela Oligarquia Financeira Transnacional. Assim que Dilma Rousseff perder a eleição, os marginais que infestam a máquina capimunista tupiniquim se transformarão em alvo da Justiça. O Governo do Crime Organizado está com os dias contados. Por sorte, a petralhada vai para o saco de lixo da História pelos erros primários que cometeram no assalto ao Brasil.

Alguns chefetes petralhas já brilham como estrelas. Claro, no firmamento lúgubre da penitenciária. Outros petralhas ainda impunes sabem que a estrela a brilhar, a partir de 2014, será a dos xerifes que começarão a processar, julgar e mandar prender os criminosos responsáveis pelo festival de Heranças Malditas que assolam o Brasil. Isto vai acontecer porque a maioria de cidadãos honestos e de bem cansou de tanta safadeza, promiscuidade e vagabundagem improdutiva.

Quem produz de verdade não aguenta mais o desgoverno como um indesejável sócio que rouba, via extorsão tributária, em média, 40% do que o trabalho consegue gerar. Números escandalizam: 47% do orçamento do governo federal é direcionado ao pagamento dos juros. Ou seja, o Brasil rasga dinheiro. Os bancos lucram alto, emprestando dinheiro para o crédito consumista, irresponsável, que só fabrica sujeitos endividados…

Ninguém com bom senso consegue mais aguentar a retórica vazia da politicagem, que ganha muito (cerca de R$ 100 mil de salário mensal) para gerar pouco ou nada, enquanto ainda aproveita para roubar a sociedade. O dinheiro público é desperdiçado ou gasto criminosamente. Por isso, não dá mais para suportar a falta de infraestrutura básica necessária a um desenvolvimento real e sustentável.

Assim que Dilma for formalmente derrotada, quem vai sentir a perda é o chefão maior do PT. Luiz Inácio Lula da Silva será rapidamente convocado a explicar, na Justiça, os desdobramentos do Mensalão e do até agora abafado Rosegate. Lula não tem como fugir de justificar, nas barras dos tribunais, todas as ações movidas contra sua íntima amiga e super-assessora Rosemary Nóvoa Noronha. Como se diz no popular, trata-se de “batom na cueca vermelha”.

Se a coisa evoluir como parece, o PT terá de mudar de nome. Deixará de ser o “Partido dos Trabalhadores” (ironia no país em que 17% do que o governo arrecada é direcionado para bolsas vagabundagem) para se transformar no “Partido dos Trambiqueiros”. E vem por aí coisa muito pior para o PT que o livro do delegado aposentado Romeu Tuma Júnior – que cansou de ser vítima do que chama de “máquina de difamação petista que assassina reputações”.

Por: Jorge Serrão


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.