Ato público em Tarauacá termina em confusão Generalizada

Publicado em 9 de dezembro de 2013

Saimo Martins

saimomartins@gmail.com

ato p.

Um ato público contra o prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PT) e seu vice-prefeito, Chagas Batista (PCdoB), realizado na manhã desta segunda-feira (9), na frente da prefeitura terminou em confusão generalizada por ambas as partes.

A manifestação foi organizado pelos vereadores Jesus Roberto (PDT), Roberto Freire (PROS) e Mirador Leite (PMDB) e pelo líder comunitário, Gilson Amorim, que denunciam supostas irregularidades praticadas pelos gestores.

Os manifestantes denunciamque Damasceno e Batista teriam reajustado os próprios salários em valores abusivos.Os vereadores denunciam irregularidades na demissão de mais de 400 prestadores de serviço e funcionários de apoio, aumento da carga horária dos servidores, contratação de funcionários fantasmas e falta de infraestrutura.

Os apoiadores da administração da prefeitura local, tentaram impedir a realização do ato público, que terminou em pancadaria e a polícia teve que intervir na luta campal dos militantes dos blocos de oposição e situação em terras taraucaenses.

Gilson Amorim líder comunitário da região informou que, o vereador Roberto Freire foi conduzido à delegacia. “Nós passamos o final de semana mobilizando pessoas para este manifesto que eles quiseram tumultuar”, disse.

De acordo com informações do líder comunitário, secretários e cargos de confiança de Rodrigo Damasceno, tentaram tomar o microfone para falar. Os organizadores tentaram impedir, provocando a troca de agressões físicas entre os envolvidos.

O lado da prefeitura

Em nota divulgada em blogues do município de Tarauacá, o vice prefeito da localidade Chagas Batista declara que o manifesto seria uma tentativa da oposição, em criar um fato às vésperas do julgamento da chapa majoritária da FPA, que responde por crime eleitoral.

O vice-prefeito destaca ainda que o movimento teria sido idealizado para desviar atenção do escândalo do desvio de dinheiro para construção de uma escola no bairro da Praia. O suposto teria sido feito pela ex-prefeita Marilete Vitorino da oposição.

“Em relação as covardias e infames dirigidas contra mim, aconselho aos caluniadores que preparem suas provas porque terão que provar na Justiça. Irei processar todos”, declara

Informações de Blogs de Tarauacá


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.