Blindagem de Cunha em troca da salvação de Dilma Toma lá, dá cá

Publicado em 12 de outubro de 2015

dilma e cunha

Guerra aberta no Planalto: todos contra Eduardo Cunha, após as revelações de que ele recebeu dinheiro do petrolão em contas secretas na Suíça. Nos bastidores, porém, tanto o planalto quanto a oposição negociam freneticamente com o presidente da Câmara.
Segundo a imprensa, dois ministros, Edinho Silva e Jaques Wagner, já propuseram a blindagem ao peemedebista contra um processo por quebra de decoro na Comissão de Ética, desde que ele rejeite os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma.
É de tirar o sono
O pós-feriado será uma terça-feira insana na Câmara. O presidente Eduardo Cunha está com a cabeça na guilhotina da Operação Lava-Jato por causa de suas contas na Suíça, mas tem a faca e o queijo nas mãos para decidir sobre a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O parlamentar passou o fim de semana examinando oito pedidos de impeachment que pretende despachar nesta terça-feira 13, entre eles, o apresentado pelo jurista e ex-deputado Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT, também subscrito pelo jurista Miguel Reale Júnior, e que foi encampado pelos partidos de oposição.
Negociação

De acordo com o jornal Correio Braziliense, Cunha pretende rejeitar todos os pedidos, segundo a assessoria, porém, em negociação de bastidor com a oposição, aceitará o aditamento das “pedaladas fiscais” de 2015, que ultrapassariam R$ 40 bilhões, segundo auditoria do Ministério Público do Tribunal de Contas da União (TCU).
* É esperar pra ver!!!
Desinteresse
A Maioria dos parlamentares tem mostrado desinteresse pela indicação das emendas coletivas porque faz tempo que o governo não libera recursos do orçamento para obras indicadas pelas bancadas federais.
* O contingenciamento das emendas de bancada é a arma utilizada como desculpas, diante de qualquer crise econômica.

Encontro da bancada
Mesmo sabendo das dificuldades de ordem econômico-financeira, de cortes, contingenciamento e de outros fatores que poderão afetar os recursos destinados às emendas, o deputado Angelim, que coordena a bancada federal, disse durante encontro em Rio Branco, na última sexta-feira, que o Acre ainda depende muito dos repasses federais.
“Então, garantir que haja essa previsão no orçamento por meio de emendas é o primeiro e um dos mais importantes passos para que tenhamos esse indispensável apoio da União ao Estado e aos Municípios que já sofrem com a redução dos repasses constitucionais” – disse Angelim.

Tudo por votos

Para angariar votos e conseguir resultados na disputa eleitoral de 2016, vários partidos políticos no Amazonas estão investindo nas filiações de celebridades conhecidas do público. São cantores, apresentadores, humoristas, artistas locais e até uma miss.

PV, PCdoB, PSB, PSDC e PR, entre outros, seguem essa estratégia.

Justificativa

A justificativa pode ser o descrédito da classe política e a necessidade de exploração de puxadores de votos conhecidos e sem ter a imagem desgastada.

Se a moda pega!

Frase

“Vou ficar aqui uns sete ou oito meses. Se for condenado, passo mais uns cinco anos preso e depois vou para casa. Tá tudo bem. Eu sou cadeieiro mesmo” – do ex-ministro José Dirceu ao ser questionado se estava deprimido com a prisão.

Mariano Maciel


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.