OS COMUNISTAS BOTOCUDOS DAQUI, DE RORAIMA.

Publicado em 10 de dezembro de 2014

falabrasil-joaobosco

Não tenho a mínima ideia de quem seja João Catalano, coordenador-geral da Frente de Proteção Yanomami e Ye’kuana, da Fundação Nacional do Índio (Funai); e nem vou procurar me informar.
Comento a sua proposta de demolir o Monumento ao Garimpeiro, um dos símbolos deste Estado, localizado na Praça do Centro Cívico Joaquim Nabuco, a mais central da capital.

Aposto mil contra um como o vivente é esquerdista dos mais radical; sem medo de perder.

Uma proposta dessas não passa pela cabeça de pessoas normais. Somente esses iluminados; esses portadores das boas novas igualitárias; os seguidores do messias furunculosos, Marx, seriam capazes de tal brilhantismo.

E por que esse comunista do lavrado quer praticar tal vandalismo?

Ora, porque, em suas palavras, devemos ver “o que acontece na Terra Yanomami, por exemplo. Centenas de garimpeiros, criminosos usurpam o ouro do povo brasileiro e ainda destroem o meio ambiente, poluindo rios e desmatando a floresta, o que acaba colocando em risco a vida de todos”. Fecha aspas.

Não sou insensível aos crimes ambientais praticados por quem quer que seja. Acho, todavia, que o sol do lavrado roraimense derreteu a já combalida mente comunista do coordenador a ponto de não deixa-lo enxergar os monumentos que o seu partido ergue em todos os cantos do país para os seus “colegas em armas”. Bandidos sanguinários, como Che Guevara, Fidel Castro e outras excrecências, não só políticas, postos que ditadores, mas, sobretudo, excrecências humanas, são homenageadas e, decerto, aplaudidas pelo marxista botocudo da Funai.

Ora, meu senhor! Tenha a santa paciência! Vá demolir o diabos que o carregue.
Não se mexe assim com a história de um povo por conta de um governo de ocasião. Seu partido vagabundo, o mais corrupto já visto neste país, não tem procuração para o revisionismo histórico; principalmente em Roraima, onde vocês são incapazes de eleger um único vereador.

Extrapolando sua proposta idiota até o limite do ridículo (Como se já não fosse…), que tal substituir a Bandeira Nacional do Brasil, onde o amarelo representa o ouro que nos expropriaram os portugueses; o azul que nos lembra outro crime ambiental que praticamos até com uma churrasqueira de quintal; o verde, que representa as nossas matas devastadas; e, o branco, da paz que vocês nos tiraram.

Proposta por proposta, tenha a coragem de substituir todas essas cores nacionais pelo vermelho do comunismo internacional que representa a centena de milhões de cadáveres produzidos por pessoas nocivas iguais a você e seus “companheiros em armas”?

Falando em lavrado… Faça bom proveito. Vá pastar!

Por: João Bosco


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.