RORAIMA: O INCRÍVEL HOMEM QUE ENCOLHEU!

Publicado em 20 de junho de 2014
Foto de reprodução veja o lobo no meio das almas.

Foto de reprodução veja o lobo no meio das almas.

Tenho, cá comigo, uma convicção: pessoas que não têm do que reclamar de políticos e governos são profundamente mal-intencionadas.

Tenho mais convicção, ainda, de que essas pessoas que, além de não reclamarem, elogiam políticos e governos ruins, o fazem mediante a pecúnia e outros caraminguás.

Vejamos o nosso caso estadual: Roraima sofreu, nos últimos 7 anos, o pior governo de todos os tempos; englobando as duas décadas e meia de sua condição de Estado, as cinco décadas do Território de Roraima, as duas décadas do Território do Rio Branco e todo o período em que foi município do Estado do Amazonas. Enfim, o pior governo desde a chegada das caravelas, no ano de 1500.

A péssima administração – e suas consequências – de José de Anchieta Júnior, o ex-governador desse período, se estenderá às futuras três décadas, ainda; as três em que pagaremos os empréstimos e financiamentos que ele assumiu e que ninguém é capaz de dizer aonde foram aplicados ou onde se encontram.

A péssima administração de José de Anchieta Júnior está causando mortes inúmeras devido à desassistência ao setor primordial da Saúde, já condenada pelo órgão que congrega os médicos de Roraima; pelo Tribunal de Contas do Estado e da União; por todo o seu corpo de servidores da área e, por incrível que pareça, até pelo Ministério Público de Roraima.
Não somente mal administrada, a área virou caso de polícia quando servidores estaduais, empresários-fornecedores de medicamentos e autoridades, foram presos em operação da Polícia Federal que, como sempre, resultou em nada; tendo, inclusive, um dos principais envolvidos assumido o posto de Secretário Municipal da… Saúde!!!!

A péssima administração de José de Anchieta Júnior – e suas consequências – noutra área primordial, da Educação, se estenderá à futura geração, em decorrência dos anos e anos em que foi relegada e destratada para segundo plano em sua visão obtusa. Dez anos equivalem a toda uma vida de estudos para a maioria de nossa população, que percorrem do ensino fundamental ao médio nesse período.
Ou seja, uma geração perdida e a futura, de descendentes diretos, comprometida, em decorrência.

A péssima administração de José de Anchieta Júnior – e suas consequências – na área da Segurança, ceifou vidas e destinos e transformou esta geração em presidiários em suas próprias residências, transformadas de segurança máxima. O crime assolou nossas ruas; a impunidade invadiu nossas vidas; o medo nos reclusou; a impunidade grassa.

E isso, essa calamidade, se estende a todas as áreas da alçada administrativa do Estado; citei apenas as mais sofridas e mais graves.

Jamais houve tanta displicência com vidas; jamais houve tanto descaso com destinos; jamais houve tanta negligência com sentimentos.

Jamais houve, também, tantos escândalos; tantas evidências de enriquecimento de autoridades e apaniguados; tantos crimes de acobertamento de desmandos e roubos; tanta despreocupação, sequer, de esconder os péssimos feitos.

Há, também, o extremo cinismo com que, sabedores de seus próprios feitos e mal-feitos, se jactam exatamente do contrário: da criação de novos leitos e hospitais; da implementação de escolas e suas melhorias; do aparelhamento de polícias e presídios.

Incrível! No sentido de não acreditarmos em nada mais dito por esse indivíduo, ele se acha capaz, merecedor e digno de se candidatar a um dos mais altos cargos da República, o de senador; maculando, somente com sua pretensão, o mesmo cargo de Cícero; Magno; Lúcio Valério e outros grandes senadores romanos. Cargo brasileiro que outrora foi um dos mais nobres e que hoje se encontram em desonra por gente de sua laia.

Esse é o elemento.

É ele o merecedor de elogios e defesas vãs de internautas e cabos eleitorais.

A minha convicção é de que eles são assalariados; a minha convicção é de que os elogios são pagos; a minha convicção é de que as defesas são feitas mediante a prebendas e sinecuras.
Pior: a minha convicção é de que receberam para tão abjeta função, dinheiro público, como é de costume aos abjetos governantes que necessitam disso; elogios pagos.

Os mesmos elogiam também Romero Jucá, um senador dentre os que mais desonram a tribuna e é, maldita sina!, nosso representante naquela Alta Casa, mas que sua atuação, deixarei para um outro post, prometo.

De resto, acho que esses e essas que recebem para elogia-los, recebem muito mais do que valem e seus pagadores merecem elogios deles. Pagos.
Enfim, eles se merecem.

Jucá é um político experiente, no pior sentido da palavra, e Anchieta é um pior político que poderíamos citar; merecem serem elogiados por aqueles que, acho, não preciso nominar.
Atentem. Na bacia das almas, espanem a fervura e eles estarão no fundo do tacho.

Pobres almas!

Escrito por: João Bosco


Deixe o seu comentário:

Todos os comentários postados são de responsabilidade de seus autores.